Gabriel Pessoto, uma quedinha, 2019. vídeo, mudo, loop.

C_4_2020_670.jpeg

Gabriel Pessoto, uma quedinha, 2019. Tear de pregos, lã e vídeo, mudo, em loop. Vista da exposição Cálamo, Massapê Projetos, São Paulo. Foto: Julia Thompson.

_DSC0066_670.jpeg

"Esta ênfase na disjunção como aspecto estruturante da experiência gay aparece também nas vídeo instalações de Gabriel Pessoto. O artista se apropria de uma gramática visual que foi buscar em padronagens, bordados e ornamentos de roupas de cama, mesa e banho que, reunidas em enxovais, funcionam como símbolos de um ideal romântico de amor. Esta investigação formal converte-se, nas obras aqui expostas, em janelas e grids nos quais o artista insere conteúdo audiovisual pornográfico, preservando a tensão entre dois modos de amar que a tradição ocidental insiste em separar."

Ícaro Ferraz Vidal Jr., 2020
Trecho do texto escrito para e exposição coletiva
Cálamo realizada em janeiro de 2020 no espaço independente Massapê Projetos, São Paulo/SP

Gabriel Pessoto, uma quedinha, 2019. Tear de pregos, lã e vídeo, mudo, em loop. Vista da exposição Cálamo, Massapê Projetos, São Paulo. Foto: Élcio Miazaki.